Volkwagen do Brasil terá que recomprar 194 carros pré-série por venda irregular

Assim como na Alemanha, a Volkswagen do Brasil vendeu carros pré-série que não poderiam ser vendidos e agora terá que recomprá-los de seus atuais donos. A prática aconteceu com veículos ano/modelo 2009 a 2018 e atinge 194 carros. Este é mais um episódio negativo para a montadora, que começou em outros mercados e afeta também o Brasil.

Segundo comunicado da própria Volkswagen, os veículos não têm o “registro de liberação”, que é uma “documentação técnica interna de montagem”. Por conta disso, “não é possível assegurar que as 194 unidades em questão atendam aos padrões e regulamentos exigidos”. Agora, a montadora promete entrar em contato com os atuais donos para fazer a recompra dos carros por 100% do valor anunciado na tabela Fipe.

O caso envolve 15 modelos, tanto nacionais quanto importados, e, assim como nos Estados Unidos e Europa, a prática foi feita até recentemente, já que carros 2018 também fazem parte do recall. Os modelos envolvidos são: CC, CrossFox, Fox, Gol, Golf, up!, Passat, Passat Variant, Parati, Polo, Polo sedã, Saveiro, Tiguan, Touareg e Voyage. O atendimento aos consumidores afetados começará em 1 de fevereiro.

No final do ano passado, a imprensa alemã revelou documentos apontando que a montadora vendeu quase 17 mil carros pré-série sem autorização nos Estados Unidos e na Europa.

À Autoesporte, a Volkswagen do Brasil confirmou o caso e explicou que “por não possuir a documentação de produção destas 194 unidades, não sabemos quais peças eles possuem e então a empresa decidiu pela recompra”. A montadora também afirma não ter “nenhum registro de acidentes com estes carros”.

Outros casos

Nos últimos anos, a Volkswagen também foi questionada por outros episódios negativos no Brasil e no mundo. Antes disso, a empresa foi peça central no Dieselgate, que consistia em fraudar o processo de testes de emissões. Assim, a montadora vendeu milhares de carros que poluem mais do que as leis de cada país permitem. No Brasil, 17 mil unidades da Amarok foram fraudadas e agora estão convocadas em um recall para conserto gratuito.

Ainda no que diz respeito ao diesel, a montadora foi acusada de financiar junto com outras fabricantes de automóveis testes no mínimo controversos. Para provar que o diesel é mais seguro que as mais recentes pesquisas apontam, um laboratório financiado pelas empresas teria colocado pessoas e macacos para inalar a fumaça do combustível. Em um segundo momento, foram estudados os efeitos dos poluentes no corpo.

Além disso, a própria empresa abriu um processo de investigação interna para apurar o envolvimento de sua diretoria com a perseguição da polícia política no Brasil durante a ditadura militar. Um documento elaborado pela própria empresa e revelado em primeira mão por Autoesporte aponta que houve, de fato, “colaboração” da empresa com a ditadura militar entre 1969 e 1979. A colaboração envolvia o repasse de informações sobre funcionários considerados subversivos. Alguns deles chegaram a ser presos e torturados depois dos informes aos militares.

Leia o posicionamento da Volkswagen na íntegra

A Volkswagen reitera o compromisso integral com a segurança, com a satisfação de seus clientes e com a legislação brasileira.

Levantamento interno da documentação de produção dos veículos pré-série da marca mostraram que, desde 2008, 194 veículos entre nacionais e importados comercializados no Brasil não possuem o registro de liberação de componentes instalados durante a fase de desenvolvimento. Este número representa 0,003% do volume total de produção da Volkswagen do Brasil nos últimos 11 anos.

A Empresa anunciou um recall dos carros envolvidos e entrará em contato com esses clientes para realizar a recompra e a retirada dos veículos do mercado. A partir de agora, novos processos foram estabelecidos no sentido de impedir a comercialização de veículos nessas condições. A Volkswagen não tem registro de quaisquer acidentes com os veículos pré-série em questão.

Background Info: De 2008 a novembro de 2018, 7 milhões de veículos foram produzidos pela Volkswagen no Brasil.

Chassis convocados neste recall

CC 2013 e 2016:

WVWBC63C2DE520427, WVWBC63C7DE519774, WVWBC63C8DE521226, WVWBD63C2GE508067

CrossFox 2015, 2016, 2017 e 2018:

9BWAL45Z0H4000391, 9BWAL45Z8H4012109, 9BWAL45Z2H4019900, 9BWAL45Z4H4019901

Fox 2015, 2016, 2017 e 2018:

9BWAL45Z9F4001763, 9BWAL45Z7F4001762, 9BWAL45Z9F4002590, 9BWAL45ZXF4007832, 9BWAL45Z1F4002311, 9BWAL45Z2F4003824, 9BWAL45Z4F4003016, 9BWAL45Z6F4004619, 9BWAL45Z6F4007424, 9BWAL45Z6F4010775, 9BWAL45Z8F4003018, 9BWAL45Z2F4025113, 9BWAL45Z5F4025493, 9BWAL45ZXF4009791, 9BWAL45Z5F4009780, 9BWAG45Z6G4000186, 9BWAG45Z6G4000267, 9BWAG45Z5G4000258, 9BWAB45Z7G4000244, 9BWAG45Z8G4000268, 9BWAB45Z3G4000242, 9BWAB45Z5G4000243, 9BWAG45Z1G4000287, 9BWAG45ZXG4000286, 9BWAB45Z1G4000370, 9BWAB45Z3G4000368, 9BWAB45Z5G4000369, 9BWAB45Z5G4000372, 9BWAB45Z3G4000371, 9BWAG45Z1G4001312, 9BWAG45Z0G4000295, 9BWAL45Z6G4000345, 9BWAL45Z8G4000296, 9BWAG45Z8G4000299, 9BWAL45Z8G4000346, 9BWAL45Z8G4000380, 9BWAB45Z9G4000245, 9BWAL45Z2G4003503, 9BWAL45Z4G4003602, 9BWAL45Z7G4003819, 9BWAL45ZXG4004608, 9BWAL45Z7G4006445, 9BWAG45Z2G4004218, 9BWAG45Z9G4004605, 9BWAG45ZXG4003818, 9BWAL45Z4G4006452, 9BWAG45Z8G4011948, 9BWAG45Z0G4014083, 9BWAG45Z2G4014098, 9BWAG45Z4G4012353, 9BWAG45Z4G4013647, 9BWAG45Z3G4013218, 9BWAG45Z6G4013214, 9BWAG45Z5G4016928, 9BWAG45Z5G4017352, 9BWAG45Z3G4017348, 9BWAG45Z4G4019108, 9BWAG45Z5G4020686, 9BWAG45Z7G4019104, 9BWAG45Z9G4022053, 9BWAG45Z5G4021594, 9BWAG45Z7G4023413, 9BWAL45Z9G4003403, 9BWAG45Z0G4021146, 9BWAG45Z4G4025443, 9BWAG45Z4G4010313, 9BWAG45Z5G4011132, 9BWAG45Z0G4034348, 9BWAL45Z8H4000011, 9BWAL45Z3H4000014, 9BWAL45Z0H4000035, 9BWAG45ZXH4000144, 9BWAB45Z2H4000010, 9BWAL45Z8H4000008, 9BWAG45Z1H4000016, 9BWAL45Z5H4000015, 9BWAB45Z5H4000390, 9BWAB45Z9H4000389, 9BWAB45Z9H4000330, 9BWAB45Z3H4000341, 9BWAB45Z3H4012103, 9BWAB45Z5H4012099, 9BWAL45Z0H4021483, 9BWAB45Z3J4000040, 9BWAL45Z0J4000039

Gol 2010, 2011, 2014 e 2016:

9BWAA05U8BP000003, 9BWAA05U0AP012368, 9BWAA45UXGP000292, 9BWAA45U4GP181308, 9BWAB45U7GP184992, 9BWAL45U1GP185049, 9BWAB45U1EP000045, 9BWAB45UXEP000027, 9BWAA05W8BP000004

Golf 2015, 2016 e 2017:

9BWAL7AU8G4900045, 9BWAL7AU1G4900047, 9BWAL7AUXG4900046, 9BWAL7AU5G4000039, 9BWAL7AU1G4000040, 9BWAL7AU3G4000041, 9BWAJ7AU2G4000053, 9BWAJ7AU0G4000052, 9BWAJ7AU6G4900051, 9BWAJ7AU5G4900056, 9BWAJ7AU9G4000051, 9BWAJ7AUXG4900053,  9BWAJ7AU6G4000055,9BWAL7AU8G4000049, 9BWAJ7AU3G4000059, 9BWAL7AU8G4000066, 9BWAL7AU0G4000062, 9BWAL7AU5G4000056, 9BWAL7AU7G4000057, 9BWAV7AU6G4000058, 9BWAJ7AU1G4000061, 9BWAJ7AU5G4000063, 9BWAJ7AUXG4000060, 9BWAJ7AU7G4000064, 9BWAL7AU9G4000089, 9BWAL7AU7G4000074, 9BWAJ7AU1G4900040, 9BWAJ7AU3G4900041, 9BWAV7AU3G4900044, 9BWAV7AU7G4000330, 9BWAV7AU3G4000308, 9BWAV7AU8H4000032, 9BWAH7AU1H4000042, 9BWAH7AUXH4000041, 9BWAH7AU5H4000044, 9BWAH7AU9H4000046, 9BWAH7AU3H4000043, 9BWAH7AU7H4000045, 9BWAH7AU2H4000048, 9BWAH7AU2H4000051, 9BWAH7AUXH4000055, 9BWAH7AU8H4000443, 9BWAJ7AU3H4000452, WVWHE6AU2FW095871, WVWHE6AU5FW096996, WVWHD6AU8FW094744

Up! 2014:

9BWAG4121ET500042, 9BWAG4126ET500053, 9BWAG4129ET500077, 9BWAG4129ET500046, 9BWAG4128ET500054, 9BWAG4122ET500048, 9BWAG4127ET500045, 9BWAG4120ET500047, 9BWAG4124ET500049, 9BWAG4125ET500044, 9BWAG4121ET500039

Passat 2013:

WVWMG83C0DP010154, WVWMG83C7DP009759

Passat Variant 2013:

WVWRG83C6DE019104

Parati 2009 e 2011:

9BWGB45W69P083389, 9BWGB05W3BP000001, 9BWGB05W0BP025342

Passat Variant 2009 e 2011:

WVWRG83C6DE019104

Polo 2009, 2010, 2011 e 2014:

9BWAB49N69P019666, 9BWAB49N79P020017, 9BWDB49N0BP000002, 9BWAE49N8AP000001, 9BWAB49N5EP000004

Polo sedã 2009 e 2014:

9BWJB49NX8P038428, 9BWDE49N79P000015, 9BWJB49N28P038679, 9BWDB49N7EP000003

Saveiro 2009 e 2014:

9BWJL45U1HP008244, 9BWJL45U4JP100759, 9BWLL45U0HP000063, 9BWLL45U9HP000062, 9BWLL45U1HP000041, 9BWKB45U6FP102754, 9BWKB45U4HP000033, 9BWKB45U9HP045680, 9BWKB05W69P082682

Tiguan 2013 e 2015:

WVGSV65N3DW519611, WVGSV65N4DW014306, WVGSV65NXFW016449

Touareg 2011, 2013 e 2015:

WVGVF67P0DD011214, WVGVF67P7DD011212, WVGVF67P9FD000280, WVGVE87P6BD004943, WVGVF87P7BD012000

Voyage 2010:

9BWDA45U5AT035060, 9BWDB45U4AT039887, 9BWDB05U0AT034050

Fonte: Revista Auto Esporte (Leia mais)

Carros mais antigos são incompatíveis com novos combustíveis

Estudo mostra que alguns carros antigos não vão poder usar a gasolina E10, um combustível que vai ser introduzido para reduzir as emissões de carbono.

Volkswagen, Ford e Nissan. Estas são as principais marcas que se podem queixar do facto de alguns dos seus modelos mais datados não serem compatíveis com a gasolina E10, que se destina a ser menos prejudicial ao meio ambiente.

Uma nova diretiva europeia, que será implementada a partir de 12 de outubro, determina que a gasolina com mistura de etanol passe a ser identificada na bomba pela letra E, sendo assinalada ao lado a quantidade de percentagem de etanol: E5, para misturas de 95/5; E10 para 90/10; e E85, com mais etanol que gasolina. Os modelos passam também a incluir a identificação do combustível desta forma, sendo que um carro alimentado a E5 não será compatível com gasolina E10, ainda que um automóvel preparado para se mexer com E85 consiga admitir gasolina com percentagens mais baixas de etanol. Problema: os automóveis com mais idade estão preparados para receberem apenas E5.

De acordo com um estudo da fundação britânica RAC (The Royal Automobile Club Foundation for Motoring), muitos carros que circulam atualmente nas estradas do Reino Unido, mas também da Europa, ainda não são compatíveis com o combustível. A Volkswagen lidera a tabela com o Golf, mas há mais modelos populares que não se darão bem com esta gasolina mais amiga do ambiente. A lista das dez principais incompatibilidades incluem o Nissan Micra e o Ford Escort. Só no Reino Unido, estima-se que em 2020 haverá mais de 630 mil carros a gasolina na estrada que não poderão ser abastecidos com E10. Destes, 150 mil terão sido fabricados a partir do ano 2000.

Quando o E10 for disponibilizado, os condutores precisam de saber se os seus carros podem usá-lo sem sofrerem danos“, explicou o diretor da RAC, Steve Gooding, justificando desta forma a utilidade do estudo que, acrescentou, “mostra que, mesmo dentro de alguns anos, ainda haverá centenas de milhares de carros nas nossas estradas que serão incompatíveis com o novo combustível“.

Embora alguns dos carros incompatíveis com o combustível E10 sejam modelos históricos, muitos serão antigos, mas com funções quotidianas e com os quais pessoas com baixos orçamentos contam para se locomover.”

As futuras designações dos combustíveis

Além da gasolina, todos os outros combustíveis passarão a ser designados por letras. Os Diesel vão exibir os códigos B7, B10 e XTL: os dois primeiros significam que o automóvel poderá usar biodiesel, com misturas de 7 ou de 10%, enquanto o terceiro serve para informar que o veículo apenas pode “levar” gasóleo sintético. A hidrogénio, os carros exibirão o código H2.

CNG, serve para indicar que o motor a gasolina pode receber gás natural comprimido; LPG (ou GPL como é conhecido em Portugal), gás de petróleo liquefeito; e LNG, gás natural liquefeito.

Fonte: KBB