O Ranking dos elétricos e híbridos mais econômicos do Brasil

A frota mundial de carros elétricos cresceu 55% no primeiro semestre de 2018. Apesar de o Brasil ainda não acompanhar o crescimento global, seis montadoras já vendem híbridos ou elétricos no Brasil e diversas prometem novos lançamentos nos próximos meses. Fizemos uma lista com o consumo dos carros elétricos e híbridos vendidos no Brasil, de acordo com os dados divulgados pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro, para você saber quais são os que menos dependem de combustível no dia a dia. Confira:

Carros mais econômicos em rodovias
1) Porsche Panamera 4 E-Hybrid (Cidade: 17,8 Estrada: 25,7 km/l)
2) Porsche Panamera Turbo S E-Hybrid (Cidade: 16,4 Estrada: 22,3 km/l)
3) Volvo XC90 T8 (Cidade: 16,4 Estrada: 18,9 km/l)
4) Toyota Prius (Cidade: 18,9 km/l Estrada: 17 km/l)
5) Ford Fusion Hybrid (Cidade: 16,8 km/l Estrada: 15,1 km/l)
6) Lexus CT 200h (Cidade: 15,7 km/l Estrada: 14,2 km/l)
7) BMW i8 (Cidade: 11,3 km/l Estrada: 13,6 km/l)
8) Porsche Cayenne S E-Hybrid Platinum Edition (Cidade: 12,1 Estrada: 12,2 km/l)

Carros mais econômicos na cidade
1) Toyota Prius (Cidade: 18,9 km/l Estrada: 17 km/l)
2) Porsche Panamera 4 E-Hybrid (Cidade: 17,8 Estrada: 25,7 km/l)
3) Ford Fusion Hybrid (Cidade: 16,8 km/l Estrada: 15,1 km/l)
4) Porsche Panamera Turbo S E-Hybrid (Cidade: 16,4 Estrada: 22,3 km/l)
5) Lexus CT 200h (Cidade: 15,7 km/l Estrada: 14,2 km/l)
6) Volvo XC90 T8 (Cidade: 16,4 Estrada: 18,9 km/l)
7) Porsche Cayenne S E-Hybrid Platinum Edition (Cidade: 12,1 Estrada: 12,2 km/l)
8) BMW i8 (Cidade: 11,3 km/l Estrada: 13,6 km/l)

Nestas listas, você pode ter sentido falta do BMW i3. O carro ainda não foi avaliado pelo Inmetro e a montadora afirma “estar avaliando as medições de consumo do novo BMW i3. Por este motivo, ainda não temos o dado disponível”.

Fonte: Revista Auto Esporte

Shell quer acelerar fim do Diesel e gasolina

Não é todos os dias em que assistimos a uma empresa multinacional a ir contra os seus próprios interesses…

É uma espécie de “harakiri” por parte da Shell. A petrolífera acredita que antecipar em cinco anos a intenções de proibição de venda de novos carros Diesel e a gasolina ajudaria a cumprir as metas do acordo de Paris. Num estudo da companhia, a Shell sugere que por volta de 2035 apenas os carros elétricos deveriam ser comercializados.

Esta proibição de venda de novos carros com motores de combustão interna proposta para 2035 antecipa-se em cinco anos à data estabelecida pelo governo inglês. A Shell considera ainda que isto seria possível graças ao desenvolvimento de veículos autónomos e elétricos para circualrem no centro das cidades e com novas e mais baratas formas de produzir os elétricos. A empresa aborda ainda os veículos movidos a FCV, considerando que o investimento no hidrogénio está atualmente estagnado, colocando os fornecedores o foco nos elétricos.

Sugere desta forma a Shell que a China, os EUA e a Europa antecipem as proibições de vendas de veículos Diesel e a gasolina. Para que tal aconteça, entre 2020 e 2050 do lado dos consumidores deverá existir uma redução em cerca de metade do uso destes veículos.

Fonte: Motor1