Renault vai produzir carro elétrico compacto e acessível

O presidente do grupo mostrou em Paris, pela primeira vez, o protótipo K-ZE, versão elétrica do compacto Kwid, à venda no Brasil na versão flex

Paris – O presidente do Grupo Renault, o brasileiro Carlos Ghosn, mostrou na semana passada em Paris, pela primeira vez, o protótipo K-ZE, versão elétrica do compacto Kwid, à venda no Brasil na versão flex. O modelo será produzido na China a partir do próximo ano. “O futuro é elétrico”, resumiu Ghosn. Embora não tenha dado pistas sobre expectativa de preços, o executivo informou que será um elétrico “acessível”.

De acordo com Ghosn, o ganho de escala de produção na China vai possibilitar a redução de preço. Após o abastecimento do mercado chinês, o compacto deve chegar a outros mercados emergentes e o Brasil é um forte candidato, assim como a Índia.

O K-ZE foi apresentado um dia antes da abertura à imprensa do Salão de Paris, onde carros 100% elétricos e híbridos (que conjugam motores a combustão e elétricos) estão representados nos principais estandes da exposição, que vai até o próximo domingo. A maioria deles está distante dos planos das empresas para o Brasil.

Entre as promessas mais reais há o novo Toyota Corolla. A marca japonesa não confirma, mas a próxima geração do sedã deverá ser lançada no Brasil no ano que vem, em versão híbrida. Maior destaque do estande da montadora, a nova Corolla Touring Sports é a versão perua do modelo, que não está prevista para o Brasil.

O Audi e-tron é um crossover com autonomia de 400 km e previsão de lançamento no Brasil no segundo semestre de 2019. Os outros elétricos lançados em Paris não têm previsão de chegar ao País no curto prazo. É o caso da BMW, que mostrou o novo i3 e o i3s, com acabamento mais esportivo, com baterias de maior capacidade. A marca informa que a autonomia em condições normais de uso subiu 30%, para cerca de 260 km. A Mercedes-Benz apresentou o EQC, primeiro modelo de sua submarca de elétricos, a EQ. A autonomia é de 320 km.

De acordo com o site francês Automobile Propre, no ano passado foram vendidos no país 24.904 veículos 100% elétricos, salto de 14,2% ante 2016 (21.793 unidades). Este ano o volume acumulado até agosto é de 17.698 automóveis, alta de 7,1% ante o mesmo período do ano passado. Embora a alta seja consistente, os elétricos representam pouco mais de 1% do mercado francês total.

Na Europa toda, segundo agências internacionais, foram vendidos no ano passado 430 mil veículos elétricos, o equivalente a 2% do mercado total.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Exame (Leia o artigo completo)

Tommykaira ZZII – Automóveis japoneses que ficaram esquecidos

No mundo automóvel existem inúmeras criações, das mais banais às mais raras, das mais simples às mais exuberantes. Desta fica aqui um top de veículos oriundos da “Terra do Sol Nascente” e menos conhecidos pelos entusiastas da área.

Tommykaira ZZII

TommyKaira é o nome de uma empresa de tuning dos anos 70, previamente conhecida como “Tomita Yume Kojo”. O TommyKaira ZZ foi o primeiro projecto da mesma, uma espécie de resposta japonesa ao Lotus Elise (motor pequeno e central, peso reduzido e carroçaria minimalista).

Já este, o ZZII, surge como protótipo em 2001 (Frankfurt Motor Show) e pretendendo-se como 2ª geração do ZZ, vai buscar as principais características ao seu ascendente. No entanto, sendo maior e mais pesado, o motor escolhido é o do Skyline GTR. Apresentando então 542cv e tracção às quatro rodas, 3 segundos bastavam para os 0-100 km/h sendo a velocidade máxima cerca de 340km/h. Além disto, a carroçaria era em fibra de carbono e o chassis de alumínio, pesando somente 1 tonelada.

Este “GTR de motor central” era um projecto bastante promissor, perdendo-se no entanto no caminho devido a dificuldades financeiras por parte da empresa. Tanto a empresa, como o modelo, acabaram por cair em esquecimento e com apenas um protótipo existente, “apagou-se” do mapa.

Fonte: Motor24 (Leia o artigo completo)