Serviço de partilha Turo é o Airbnb dos automóveis

Apesar de satisfazer as necessidades de mobilidade de milhões de pessoas, um automóvel é sempre uma fonte de despesas contínuas, relacionadas com a sua compra, manutenção e utilização. Essas despesas vão-se acumulando e nunca param até ao fim de vida do carro. Por isso, muitas pessoas já escolhem não ter automóvel próprio, enquanto quem os tem pode aproveitar para rentabilizá-los, emprestando o seu veículo a quem não tem um. Um desses serviços é a Turo, uma espécie de Airbnb para automóveis.

Em cidades onde o custo de vida é elevado, muitos proprietários de automóveis começaram a colocar os seus veículos no site e no aplicativo da Turo, para poderem ser utilizados por outros. Ao contrário da Uber ou da Lyft, em que uma pessoa viaja como passageira num automóvel com condutor, na Turo pode alugar os automóveis durante um tempo limitado, utilizando-o como se fosse seu. Tal como a Airbnb faz com casas e apartamentos, a Turo faz com os automóveis.

A Turo está presente em 56 países e 5500 cidades, mas um dos seus principais mercados é San Francisco, onde existe também uma quantidade elevada de veículos elétricos. Os preços de aluguer podem variar entre 29 e 200 dólares por dia, conforme o tipo de automóvel, e um utilizador médio pode levar para casa 672 dólares por mês (582 euros), mais que suficiente para cobrir as mensalidades da compra de um automóvel.

Uma proprietária de um Tesla Model 3, que prefere viajar de Uber em vez de conduzir, afirma ganhar o suficiente para cobrir não só os pagamentos do carro, mas também o combustível e o seguro. E o dono de um Tesla Model X tem um dos veículos mais requisitados na plataforma, tendo acumulado mais de 40 mil dólares o ano passado, ou quase metade do preço de um Model X novo. Deste modo, torna-se mais fácil um proprietário de um veículo recuperar o investimento, além de evitar tempos mortos, permitindo a outras pessoas viajar de automóvel com regularidade sem precisar de comprar um.

Fonte: Motor24 (Leia o artigo completo)

Cidades alemãs lideram na partilha dos automóveis

A mobilidade partilhada está a crescer por todo o Mundo, com destaque para a Alemanha, o país que regista o maior aumento de utilizadores. Mas também em França, Espanha, Itália, Áustria, Polónia e Japão, o carsharing é uma aposta cada vez mais forte das empresas de aluguer de automóveis e dos próprios fabricantes.

Um estudo conduzido no ano passado pela consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), dado a conhecer pela DriveNow, prevê que, na Alemanha, o número de utilizadores de automóveis partilhados até 2020 chegue aos 15 milhões em 2020.

Portugal não escapa a esta tendência. Dados recentemente divulgados, revelam que a DriveNow atingiu mais de 150 mil viagens na cidade de Lisboa. A um mês de celebrar o seu primeiro ano de atividade no país, a plataforma tem em média 1500 registos mensais, mas estima chegar aos 30 mil até final do próximo mês de setembro.

O serviço de carsharing chegou a Portugal em setembro de 2017, sendo Lisboa a 13.ª cidade europeia a receber a DriveNow e a primeira na Península Ibérica a ter este serviço. Segundo os responsáveis pela empresa, por cada carro de carsharing, há pelo menos seis particulares que deixam de circular nas estradas.

Paris é outro dos exemplos. A Ubeeqo, líder em carsharing na capital francesa, tem vindo a apresentar um crescimento continuado desde o lançamento em 2015 e anunciou como objetivo, a curto prazo, aumentar a frota disponível em 25% até ao mês de outubro e duplicar a frota até final do ano, incluindo 150 veículos elétricos.

A par disto, outras alternativas de partilha, como bicicletas e motos, estão, também, a ganhar importância. O transporte público local também se tornará mais integrado aos esquemas de partilha no futuro, facilitando a migração das pessoas para mobilidade partilhada e conectada – especialmente nas cidades“, antecipa a DriveNow, na divulgação do estudo.

O primeiro projeto de partilha automóvel foi iniciado na Alemanha em 1988. Hoje, 30 anos depois, mais de 2,1 milhões de clientes estão registados e existem cerca de 165 fornecedores do serviço de carsharing naquele país.

Fonte: JN (Leia o artigo completo)