Os vinte automóveis mais raros do mundo

A expressão “edição limitada” tem uma aplicação um tanto ou quanto liberal nos dias que correm. Antigamente, em especial no mundo dos veículos de quatro rodas, era um dito deveras sagrado. Abaixo mostraremos não os mais caros, nem os mais cobiçados bólides. Apresentamos-lhe um artigo cujo enfoque incide sobre a raridade. Pois bem: fique, portanto, a conhecer aqueles que são os mais raros automóveis até à data. Tratam-se, sem dúvida, de duas dezenas de veículos absolutamente espantosos.

Foram produzidos 18 Alfa Romeo 33 Stradale.

 

 

Apenas 15 Aston Martin DB1 foram produzidos.

 

 

Com o início da Grande Depressão, a Bugatti Royale conseguiu vender apenas três dos seis Royales fabricados.

 

 

Chevrolet Corvette ZL-1 – A versão mais poderosa do já bestial Corvette L-88. Limitado a apenas dois exemplares.

 

 

Delahaye 175 S Roadster – Criado pela empresa francesa Saoutchik, este fantástico modelo é “one of a kind”.

 

 

Dodge Coronet R-T – O modelo acima teve menos de uma mão cheia de unidades fabricadas.

 

 

Ferrari F12 TRS – Apenas foram produzidos três exemplares deste modelo magnífico.

 

 

Ferrari F50 GT1– Apenas foram produzidos três exemplares deste fenomenal modelo da insígnia de Maranello.

 

 

Ford Torino King Cobra – Apenas foram construídos dois exemplares deste portentoso modelo.

 

 

A máquina de Steve McQueen. O veículo acima é um de 16 Jaguar XKSS que chegaram à produção.

 

 

Lamborghini Veneno – Construído em comemoração dos 50 anos da Lamborghini. Foram produzidos cinco no total – dois ficaram na posse da própria marca e três foram fabricados para clientes.

 

 

Maybach Exelero – Há um único exemplar deste modelo, o qual foi comprado pelo rapper norte-americano Birdman, em 2012, por oito milhões de dólares.

 

 

Somente uma mão cheia de McLaren F1 LM chegou à produção.

 

 

O Oldsmobile F-88 abaixo é a única unidade deste modelo que ainda existe.

 

 

Packard Panther – O veículo acima é um de quatro Panthers que existem.

 

 

Foi somente construído um Phantom Corsair, veículo que está guardado no National Automobile Museum de Reno, no Nevada.

 

 

Plymouth Hemi Barracuda – Fez manchetes por se tratar do primeiro desportivo a ser vendido por mais de um milhão de dólares. Foram construídas 11 unidades deste modelo.

 

 

Pontiac GTO “The Judge” – Foram produzidas 17 unidades deste fabuloso modelo.

 

 

Rolls Royce 15hp – Foram produzidos seis Rolls Royce 15hp, mas o exemplar que vê acima é o único que ainda existe.

 

 

Talbot Lago Grand Sport – Foi produzida uma dúzia de exemplares deste incrível modelo.

 

Fonte: Motor24 (Leia o artigo completo)

 

 

 

É um MX-5? É um Corvette? Não, é um Mitsuoka… Rock Star

Nem sempre recordada pelas melhores razões, a japonesa Mitsuoka acaba de revelar a sua última proposta — um MX-5 que quer ser um Corvette, de nome… Rock Star.

Sem brincadeira, este é o Rock Star da Mitsuoka, e no que toca a nomes para automóveis este sobe bem alto na lista para os nomes mais absurdos para um automóvel.

Para quem não conhece a Mitsuoka é uma pequena empresa automóvel japonesa que se dedica, essencialmente, a dar um “look retro” a automóveis contemporâneos. Os resultados costumam ser no mínimo… dúbios. É dela também o super-desportivo Orochi, que também apresenta-se com um estilo muito próprio…

A sua última criação volta a recorrer ao Mazda MX-5 (ND) como base — já o tinha usado para criar o Himiko, que transforma o MX-5 em algo semelhante a um… Morgan ou Jaguar pré-Guerra. Desta vez, a Mitsuoka foi aos EUA buscar inspiração, transformando o contemporâneo MX-5 no que parece ser um mini Corvette Stingray (C2 ou segunda geração).

É a primeira vez que a Mitsuoka inspira-se num modelo americano — todas as suas transformações têm como base visual modelos europeus de outros tempos —, e serve também para comemorar o 50º aniversário da empresa.

Surpreendentemente bom

Considerando o histórico visual da Mitsuoka — dignos exemplares de uma estética kitsch —, este Rock Star até acabou por resultar bastante bem. As proporções do pequeno roadster japonês encaixam quase na perfeição com as proporções do Corvette C2 — capot longo e habitáculo recuado.

É certo que não é uma réplica mas as semelhanças são óbvias. Está cheio de pormenores curiosos, como as pequenas óticas dianteiras circulares — o Corvette tinha faróis escamoteáveis —, os pára-choques em L e a saída de ar por trás da roda dianteira, replicando ou interpretando as mesmas soluções do Corvette Stingray. Do MX-5 parece apenas sobrar as portas e o pára-brisas.

As especificações do Rock Star também permanecem idênticas às do MX-5 1.5. Existem três versões, uma delas com caixa automática, e estará disponível em seis cores, todas elas com nomes muy americanos: Los Angeles Blue, Chicago Red, New York Black, Cisco Orange, Washington White e Arizona Yellow.

O preço para esta “estrela de rock” MX-5/Corvette? Pouco mais de 36 mil euros (versão base), quase o dobro de um MX-5 no Japão. A Mitsuoka anunciou apenas 50 unidades, pelo menos para já…

Já temos o “look”, só falta a troca de motor para um LS V8… 

Fonte: Razão automóvel (Leia o artigo completo)