Autoapp quer a ser a “Booking” dos automóveis

Nasceu em Portugal a Autoapp, uma nova aplicação para telemóvel já apelidada do “Booking” das oficinas de automóveis e centros de inspeção.

Apresentada recentemente, em Matosinhos, a aplicação, que vinha a ser pensada desde há um ano pela Mastergás, uma empresa especializada na montagem de sistema de GPL, “surgiu para ultrapassar algumas das necessidades das oficinas e dos centros de inspeção, no sentido de adaptar a tecnologia já disponível às necessidades de gestão e de comunicação entre todos os clientes com as oficinas e os centros de inspeção”.

A AutoApp, gratuita para os clientes e, até junho, também para as oficinas e centros de inspeção, permite uma melhor gestão para as empresas do setor.

Os proprietários dos veículos poderão ter acesso a um conjunto de oficinas/centros de inspeção credenciados e pesquisar oficinas por todo o país para a sua viatura, agendar idas à oficina escolhendo o melhor dia e hora para a visita, gerir as suas viaturas, o histórico das reparações feitas e as visitas à oficina, receber notificações da oficina quanto à agendamentos ou necessidades de reparações ou revisões/inspeções”, sublinhou Bruno Moreira, que “desenhou” a aplicação.

Para os profissionais a aplicação funcionará num ambiente de “desktop”, ao passo que para os clientes estará acessível também num simples smartphone.

Para as oficinas, entre outras vantagens, possibilita angariar novos clientes que pesquisem oficinas na aplicação, controlar a sua agenda e fazer marcações de forma mais eficiente, aceder ao histórico de todas as visitas dos seus clientes e comunicar com eles através de um canal privilegiado.

Para aderir já à AutoApp as oficinas/centros de inspeção devem enviar um formulário de pré-adesão para o email info@autoapp.pt, informando também as categorias de serviços oferecidos, divididos em Mecânica/Pneus/GPL/Chapa e Pintura/Vidros/Eletricidade e Electrónica/Estética e Centro de Inspeção.

Marisa Almeida, da Mastergás, sublinhou que “há mais de uma dezena de países interessados na aplicação”. “Estamos a ir ao encontro de necessidades reais dos profissionais e dos clientes. Acreditamos ser o futuro neste segmento do mercado automóvel”, concluiu.

Fonte: Motor24 (Leia mais)

Serviço de partilha Turo é o Airbnb dos automóveis

Apesar de satisfazer as necessidades de mobilidade de milhões de pessoas, um automóvel é sempre uma fonte de despesas contínuas, relacionadas com a sua compra, manutenção e utilização. Essas despesas vão-se acumulando e nunca param até ao fim de vida do carro. Por isso, muitas pessoas já escolhem não ter automóvel próprio, enquanto quem os tem pode aproveitar para rentabilizá-los, emprestando o seu veículo a quem não tem um. Um desses serviços é a Turo, uma espécie de Airbnb para automóveis.

Em cidades onde o custo de vida é elevado, muitos proprietários de automóveis começaram a colocar os seus veículos no site e no aplicativo da Turo, para poderem ser utilizados por outros. Ao contrário da Uber ou da Lyft, em que uma pessoa viaja como passageira num automóvel com condutor, na Turo pode alugar os automóveis durante um tempo limitado, utilizando-o como se fosse seu. Tal como a Airbnb faz com casas e apartamentos, a Turo faz com os automóveis.

A Turo está presente em 56 países e 5500 cidades, mas um dos seus principais mercados é San Francisco, onde existe também uma quantidade elevada de veículos elétricos. Os preços de aluguer podem variar entre 29 e 200 dólares por dia, conforme o tipo de automóvel, e um utilizador médio pode levar para casa 672 dólares por mês (582 euros), mais que suficiente para cobrir as mensalidades da compra de um automóvel.

Uma proprietária de um Tesla Model 3, que prefere viajar de Uber em vez de conduzir, afirma ganhar o suficiente para cobrir não só os pagamentos do carro, mas também o combustível e o seguro. E o dono de um Tesla Model X tem um dos veículos mais requisitados na plataforma, tendo acumulado mais de 40 mil dólares o ano passado, ou quase metade do preço de um Model X novo. Deste modo, torna-se mais fácil um proprietário de um veículo recuperar o investimento, além de evitar tempos mortos, permitindo a outras pessoas viajar de automóvel com regularidade sem precisar de comprar um.

Fonte: Motor24 (Leia o artigo completo)